Resenha: Show Roger Hodgson: Via Funchal – São Paulo/SP


Por Eduardo Guimarães

O show do compositor, músico e cantor Roger Hodgson em São Paulo na noite de sexta-feira, 14, é o que se pode chamar de jogo ganho. Eternamente lembrado por seus anos à frente do Supertramp, Hodgson fez uma apresentação impecável tocando grandes clássicos lançados originalmente pela banda e algumas canções de sua carreira solo.

Logo ao adentrar a pista da Via Funchal, chamava a atenção a simples e bela decoração do palco. Sete vasos com pequenas árvores espalhadas recebiam uma leve iluminação arroxeada. Três teclados, dois violões, saxofone, flauta, baixo, bateria e ao centro o imponente piano, eram os instrumentos à vista.

Na platéia, muitas senhoras e senhores bem vestidos e alguns poucos cabeludos com camisetas de bandas dos anos 60 e 70 dividiam as mesas montadas na pista da casa. O show estava marcado para começar às 22h00, mas Roger Hodgson só adentrou ao palco 20 minutos mais tarde.

Com uma expressão simpática e sorridente, o músico inicia o show com um dos maiores clássicos do Supertramp, ‘Take A Long Way Home’, seguida de ‘Give A Little Bit’ e ‘Hide In Your Shell’.

Hodgson conversou bastante com o público durante toda a apresentação, principalmente explicando algumas canções antes de apresentá-las. Hodgson contou que adora receber cartas e e-mails dos fãs dizendo o quanto aquelas músicas foram importantes para eles, porque elas também eram a trilha sonora de sua vida.

Com uma qualidade de som ótima, limpa e cristalina, Rodgson emocionou muitos fãs com a belíssima ‘Lovers In The Wind’, assumindo o piano pela primeira vez. Entre muitos clássicos e algumas músicas de sua careira solo, Hodgson apresentou uma música inédita em disco, ‘The Awekening’, que já vem sendo apresentada na turnê. Entre as surpresas do repertório estava ‘Lady’, segundo o próprio cantor, tocada ao vivo apenas pela segunda vez.

Obviamente Hodgson é o dono do show, mas não tem como não citar a performance do músico Aaron MacDonald. O músico toca gaita, teclado, flauta, saxofone e faz os vocais de apoio se mostrando uma peça fundamental na apresentação.

Hodgson contou que quando criança fazia muitas perguntas aos seus pais sobre de onde as pessoas vinham antes de nascer e para onde iriam depois da morte. Na escola as dúvidas e indagações só aumentaram e a próxima música era sobre isso: “The Logical Song”. Antes de “Breakfast in America”, Hodgson comentou, galanteador, que quando era jovem queria ir para a Califórnia por causa das garotas de lá, mas isso foi antes de conhecer o Brasil.

O show durou cerca de uma hora e 40 minutos. Também fizeram parte do repertório ‘A Soapbox Opera’, ‘Along Came Mary’, ‘Only Because Of You/Lord Is It Mine’, ‘Dreamer’ e ‘Fool’s Overture’.

Para o bis o músico e a banda atenderam aos pedidos do público e tocaram “School” e terminaram com a animada “It’s Raining Again”, com toda a platéia de pé, a pedido de Hodgson. Uma noite memorável que deixou nos fãs – de ontem e de hoje – sorrisos de satisfação.

Site
Facebook
Myspace
Twitter
Fonte

Leia outras notícias sobre Roger Hodgson

Autor: Diego Camargo

Editor chefe do Progshine

2 comentários em “Resenha: Show Roger Hodgson: Via Funchal – São Paulo/SP”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s