Resenha: Violeta De Outono – Spaces (2016)


spaces-2016

Por Diego Camargo

Artist: Violeta De Outono
Disco: Spaces
Data de lançamento: 14 de Outubro de 2016
Selo: Voiceprint
Tempo total: 42:37

Resenha:

O Violeta De Outono, desde 2007, vem lançando discos fantásticos, um após o outro. É fato inegável que a banda compõe e lança discos em um ritmo bem lento (este é o quarto disco deles desde a volta em 2005), mas pela qualidade dos trabalhos que lança, a espera é valida. Dessa vez também temos que levar em consideração que Fabio Golfetti andou excursionando com o Gong antes e depois da morte de Daevid Allen e agora ele é membro official da banda.

Falando únicamente da música, ‘Spaces’ vem com o maravilhoso som da banda que há tempos é influenciado pelo Canterbury Sound de bandas como Caravan e Camel. Mas sua essência Psicodélica do início de carreira que remontam ao Pink Floyd dos primeiros discos ainda está presente.

É bom ver Gabriel Costa (baixo) ganhar mais espaço e solar na faixa de abertura (‘Imagens’), também é bom ver que o órgão de Fernando Cardoso ainda é o esqueleto essencial à música da banda. Mas é claro que Fabio Golfetti continua sendo a ‘cara’ do Violeta De Outono com sua voz calma e suave e sua guitarra atmosférica.

violeta-de-outono-2016Para mim é difícil resenhar um disco como ‘Spaces’, não porque ele é ruim, muito pelo contrário, ele é ótimo, mas por que as faixas passam pelos ouvidos e acabam gravadas na cabeça, fazendo você cair num transe. Quando você se dá conta você se vê balançando a cabeça ao som ritmado da bateria de José Luiz Dinóla e o baixo hipnótico de Gabriel, enquanto os sons flutuantes do órgão simplesmente te levam pra uma outra dimensão.

‘A Painter Of The Mind’ é um exemplo perfeito do que eu disse acima, prefiro o Violeta De Outono cantando em Português, mas essa faixa, cantada em Inglês, tem todos os elementos que eu citei e é completamente hipnótica. No entanto é bem possível que ‘Cidade Extinta’ seja minha faixa favorita do disco – altamente Progressiva mas com aquela melancolia a la Caravan, sem deixar de ter o DNA e a alma do Violeta De Outono.

Disco altamente recomendado para qualquer amante do Rock Progressivo ‘old-school’!

Nota:

_________________________________________

FAIXAS:
1. Imagens (12:01)
2. Kevinland (3:03)
3. Parallax T-Blues (6:18)
4. Imagens (reprise) (0:33)
5. Flowers On The Moon (4:53)
6. A Painter Of The Mind (4:58)
7. Cidade Extinta (10:51)

FICHA TÉCNICA:
Gravado no MOSH Studios, São Paulo, no Outono de 2016
Gravações adicionais nos estúdios Seven Keys e Schevano Studio
Engenheiro de som e mixagem: Alex Angeloni
Masterizado por Andy Jackson no Tube Mastering, Londres
Produzido por Fabio Golfetti

DETALHES DO DISCO USADO PARA RESENHA:
CD em formato Digipack (também disponível digitalmente)
Arte: Invisível
Esboço original da capa: Paul Klee

A BANDA EM SPACES:
Fabio Golfetti – voz, guitarra
Gabriel Costa – baixo
Fernando Cardoso – órgão, piano, sintetizador
José Luiz Dinóla – bateria

PARTICIPAÇÕES:
Fernando Alge – guitarras, vocais (na faixa 5)

Ouça:

Compre o disco: CD / Digital

Violeta De Outono links:
Site
Twitter

Leia mais sobre o Violeta De Outono no Progshine

Anúncios

Autor: Diego Camargo

Editor chefe do Progshine

Uma consideração sobre “Resenha: Violeta De Outono – Spaces (2016)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s