David Byrne Usa Prédio Em Londres Como Instrumento Musical


David Byrne não quer abalar geral; talvez, só dar uma mexida nas coisas. O ex-líder do Talking Heads transformou o Roundhouse de Londres, um antigo abrigo de máquinas ferroviárias, em um instrumento musical gigante para a instalação “Playing The Building” (“Tocando a construção”, em inglês).

O trabalho convida os visitantes a fazerem a estrutura de tijolos e ferro vibrar e oscilar através de uma série de fios e cabos ligados ao corpo de um antigo órgão de pedal. A música produzida é rudimentar, uma cacofonia de “clangs”, “uhhhms” e assovios.

“Não dá para tocar Bach”, diz Byrne – e isso faz parte do apelo da instalação. “Ele nivela o nível técnico em termos de performance. Todos somos amadores ao tocá-lo. As lições de piano que você teve quando era criança não vão ter muito uso”.

Cada uma das teclas está ligada a um dos cabos multicoloridos que se serpenteiam por sobre o órgão em direção ao teto do prédio em estilo vitoriano. Algumas das teclas sopram ar no encanamento do prédio. Outras fazem pedaços de metal baterem em pilares de aço, ou ligam motores que fazem as vigas ressoarem.

“Não tem nenhum amplificador, nenhum aparelho eletrônico ou sample, ou qualquer dessas porcarias modernas”, explica Byrne. “É tudo feito de coisas velhas, mecânicas”.

Construído em 1846 para a London and Birmingham Railway, o Roundhouse virou uma famosa casa de shows na década de 1960 e 1970, com shows de grupos como Pink Floyd e The Doors. Mas o prédio ficou abandonado por anos até ser reaberto em 2006 como espaço para música e teatro.

Produzindo arte

Normalmente ele funciona como anfitrião para a música dos outros. “É a primeira vez que o Roundhouse tem a chance de tocar sozinho”, diz o diretor artístico Marcus Davey. Byrne diz que a mudança de papéis é um dos atrativos de “Playing The Building”. “Nós estamos acostumados a consumir arte e cultura. Nesse caso, temos que produzir”.

Byrne, aos 57 anos, forjou uma carreira solo eclética como músico e artista visual desde que a sua banda Talking Heads parou de gravar discos no final da década de 1980. Byrne diz que seu trabalho é guiado por uma inclinação para a acessibilidade, do Talking Heads à sua arte e suas colaborações musicais com o pioneiro da música eletrônica Brian Eno.

“A maior parte das coisas que eu faço não é obscura ou difícil”, explica. “Elas têm que ser acessíveis para o cidadão comum”.

Suécia e EUA

A última turnê de Byrne pela Europa – tocando músicas que compôs com Eno – termina neste domingo (9) no festival Big Chill, na Inglaterra.

Ele também instalou “Playing The Building” em uma fábrica abandonada em Estocolmo, na Suécia, e no edifício Battery Maitime em Nova York.

O Roundhouse traz boas lembranças para Byrne, que tocou no local com os Talking Heads em 1976, em uma noite que contou com as bandas punk Ramones e Stranglers. Byrne disse que ele nunca esqueceu o hábito de cuspir dos fãs britânicos. “Para alguns de nós era a primeira experiência com aquelas cusparadas. Então eu nunca esqueci o lugar”.

“Playing the building” é apresentado no Roundhouse em Londres entre os dias 08 e dia 31 de agosto.

Lembrando que o trabalho mais recente do artista em dupla com Brian Eno pode ser ouvido na íntegra AQUI.

Site
Fonte

Anúncios

Novo Álbum De David Byrne E Brian Eno É Lançado


Após 27 anos desde que lançaram um álbum juntos, David Byrne e Brian Eno lançaram no último dia 18 de agosto um novo trabalho em conjunto. O disco foi batizado de Everything That Happens Will Happen Today (2008). O disco será vendido apenas na internet, mas além de arquivos digitais em mp3 e FLAC, os compradores podem optar por adquirir uma edição especial com CD com músicas e vídeos bônus.

As novas músicas de Byrne e Eno estarão à venda exclusivamente PELO SITE. O público também poderá ouvir todas as faixas gratuitamente através do mesmo endereço e no próximo dia 04 uma das faixas estará disponível para ‘download’ gratuito, mas a música ainda não foi identificada.

“Na maior parte, Brian cuidou da parte musical. Eu escrevi alguns temas, letras e cantei. É algo familiar, mas completamente novo ao mesmo tempo e estamos bastante animados”, comentou David Byrne no seu site oficial.

Para os internautas interessados em adquirir o álbum, os preços são os seguintes: US$ 9 por arquivos em MP3 (320kb de qualidade), ou por MP3 + FLAC (arquivo de maior qualidade, mas muito mais pesado e incompatível com tocadores portáteis); US$12 por um CD, que será entregue a partir do dia 30 de novembro, mais os arquivos em MP3; ou US$ 70 pelos MP3, mais o disco com as onze músicas originais e outras quatro bônus, um curta sobre a produção de Everything That Happens Will Happen Today (2008), uma proteção de tela exclusiva e um mini-livro de 17 páginas, com entrega prevista também para 30/11.

O Progshine, mais uma vez na frente, traz o streaming de todas as faixas do álbum, confira AQUI o novo álbum da dupla.

David Byrne – Site
Brian Eno – Site