Há 21 Anos Morria O Cantor Raul Seixas


Os biógrafos costumam dizer que Raul Seixas levou o rock às últimas consequências. Nos últimos anos de sua vida, mesmo sofrendo de pancreatite, ele não se afastou do consumo exagerado de drogas e álcool. A doença levou à morte o Maluco Beleza aos 44 anos, no dia 21 de agosto de 1989.

Para eles, a decadência perante o público, os problemas com empresários e gravadoras são menores diante da sua relevância artística. Passados 21 anos, seus principais hits são conhecidos do grande público.

O interesse pela obra de Raulzito reacende em novas gerações de fãs, que fazem questão de soltar a voz com o grito “Toca Raul”. Ainda hoje é possível ouvir o jargão em bares, pistas de dança e shows de rock.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Um dos legados do roqueiro é parecido com o fenômeno que acontece com o “Rei do Rock” Elvis Presley: inúmeros sósias fazem questão de se vestir de forma idêntica a Raul e atuar fazendo covers do cantor. A sua confirmação, como mito do rock nacional, é frequente em homenagens no teatro, na TV, nas biografias e relançamentos de álbuns.

A admiração pelo “Maluco Beleza” ultrapassa o rock. Chitãzinho e Xororó, Maria Bethânia,  Milionário e Zé Rico e Elba Ramalho já regravaram composições do baiano.

Documentário é aguardado para 2010
O longa-metragem dirigido por Walter Carvalho e Evaldo Mocarzel promete estrear nas telas ainda em 2010, trazendo depoimentos de parentes, amigos e antigos parceiros, como o escritor e letrista Paulo Coelho, que trabalhou com Raul na composição de músicas que fizeram parte da fase mais conhecida da carreira do roqueiro.

Em 2009, um trecho do filme foi exibido durante o Festival do Rio. O teaser mostrava o cantor se dizendo apaixonado por cinema. “Espero acabar em Hollywood”, brincava, irônico, afirmando ser um ator que fingia ser cantor.

Sua interpretação é lembrada graças a videoclipes para o Fantástico, nos quais Raul extravasava sua criação. As perfomances são destacadas pelos cenários em chroma key e pela produção, como as dançarinas presentes em “Sociedade Alternativa” – um dos primeiros clipes musicais feito a cores no Brasil, exibido em 1974.

Site
Fonte

Leia outras notícias sobre Raul Seixas

Anúncios

Gospel, A Música Inédita De Raul Seixas


Em 1974, uma canção de Raul Seixas e Paulo Coelho foi censurada pelo regime militar.  Ela foi composta para a novela “O Rebu”, mas acabou sendo gravada e lançada com as estrofes totalmente alteradas.

A gravação original ficou desde então com o produtor Marco Mazzola, que esperou até que a tecnologia de edição de áudio permitisse recuperar a canção, chamada “Gospel”, com a qualidade que a música pedia.

Originalmente o áudio para a canção só tinha violão e voz de Raul e para conceber um arranjo atual para a música Mazzolla chamou Frejat, do Barão Vermelho que, diga-se de passagem, escolheu os músicos certos e compôs um arranjo que não fica devendo em nada ao material gravado à época por Raul.

Abaixo veja o vídeo preparado pelo Fantástico e ouça a faixa inédita:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Uma outra dica para os fãs do eterno Maluco Beleza, se você tem algum material que possa ser acrescentado ao documentário sobre a vida de Raul, que irá se chamar “O Início, O Fim E O Meio”, entre em contato com a produção, através dos contatos abaixo:

A.F Cinema e Vídeo
Contato: Marina Anauate
E-mail: af.executivo@uol.com.br
Site: www.afcinema.com.br

Site

Leia outras notícias sobre Raul Seixas