Steve Rothery Guitarrista Do Marillion Fala Sobre Suas Influências


Por Thiago Sarkis

Steve Rothery, 49 anos, entrou para o Marillion em 1979, quando a banda ainda se chamava Silmarillion. À época, o guitarrista buscava firmar-se em um conjunto após tocar em dois grupos, Purple Haze e Pegasus. A saída de Martin Jenner em agosto daquele ano lhe deu a chance de crescer e aparecer, a qual ele agarrou com unhas e dentes¹.

Da atual formação, o britânico de Brampton, Inglaterra, é o membro com mais tempo de banda e o único remanescente daquele que foi de fato o primeiro Marillion, com Doug Irvine (vocal, baixo), Steve Rothery (guitarra), Brian Jelleyman (teclado) e Mick Pointer (bateria).

Em três décadas de carreira com o grupo, ele gravou quinze álbuns de estúdio, e lança agora o DVD duplo This Strange Convention (2009), registro ao vivo da convenção de fãs do quinteto de 2007.

O novo trabalho inclui uma série de covers: ‘Hocus Pocus’ (Focus), ‘Bedshaped’ (Keane), ‘Good Morning Good Morning’ (The Beatles), ‘Everybody Hurts’ (R.E.M.), ‘The King Is Half-Undressed’ (Jellyfish), ‘Money Money Money’ (ABBA), ‘Six Months In A Leaky Boat’ (Split Enz), ‘Blackberry Way’ (The Move), ‘She Goes On’ (Crowded House), ‘Accidents Will Happen’ (Elvis Costello) e até ‘Toxic’ (Britney Spears). Além destas faixas, várias músicas próprias marcantes como Warm Wet Circles, Lords Of The Backstage, Splintering Heart, King, The Great Escape, e a obra-prima que você assiste e ouve abaixo (Afraid Of Sunlight).

Acessível e bem-disposto, Steve Rothery falou ao Solada de seus grandes ídolos e maiores influências.

– David Gilmour (Pink Floyd): “David Gilmour tem uma maneira tão encantadora e única de tocar que é difícil comentar e descrever. Há muita emoção e paixão no que Gilmour faz. Ele não é de tocar muitas notas, mas com as poucas que toca, escreve um livro. Ele tem uma história a nos contar a cada solo e música.”

– Steve Hackett (ex-Genesis): “A influência de Steve Hackett em mim é antiga; vem desde os meus primeiros anos como guitarrista. Seu estilo, assim como o de Gilmour, é extraordinário, único. Gosto muito dos barulhos estranhos que ele apresenta de vez em quando em suas músicas. Cresci e me desenvolvi como músico escutando e aprendendo com muitos dos elementos que ele utiliza em suas composições.”

– Jeff Beck (Solo, Jeff Beck Group, ex-The Yardbirds): “Acho a pegada de Jeff Beck fantástica. Suas intuição e sensibilidade me fascinam. Ele possui um senso melódico maravilhoso que adiciona uma incrível qualidade ao seu tocar. É estupendo!”

– Eddie Van Halen (Van Halen): “Eu cito Eddie Van Halen por várias razões, mas a principal delas seria o que ele fez no primeiro álbum do Van Halen. Adoro o jeito como ele toca e pensa as músicas naquele disco. Por isso foi algo tão revolucionário e inovador. Além disso, sinto que havia muito humor e diversão no que ele fazia, o que o tornou ainda mais especial em comparação aos outros músicos daquela época. É um guitarrista raro e excepcional.”

– Jimi Hendrix: “Sinceramente, não há como não citá-lo. Ele reescreveu a história da guitarra, inventou e levou ao grande público inúmeras maneiras dantes não tão reconhecidas de tocar e compreender este instrumento. As loucuras e a intensidade de suas performances só atestam um fato impressionante: ele estava no mínimo vinte anos à frente de seu tempo.”

Nota final: “Há vários músicos e guitarristas que estão entre os melhores para mim e que não posso deixar de citar: Andy Latimer (Camel), principalmente pelos primeiros álbuns que gravou. Jimmy Page (Led Zeppelin), por seus ótimos riffs de Rock ‘N’ Roll. George Harrison (The Beatles), absolutamente sublime. Carlos Santana, igualmente marcante para mim, especialmente por trabalhos como ‘Abraxas’ (1970). Amo aqueles primeiros LPs que ele gravou; foram fontes de inspiração que me influenciaram quando comecei a tocar. Allan Holdsworth e Larry Carlton também são magníficos.”

Site
Myspace

Leia outras notícias sobre o Marillion

Projeto Paralelo Do Guitarrista Do Marillion, Wishing Tree, Lança Disco Novo


O novo álbum do projeto paralelo do guitarrista do Marillion Steve Rothery, será lançado no dia 23 de Março, o novo álbum do Wishing Tree irá se chamar Ostara (2009).

O disco já poder ser encomendado, para tanto CLIQUE AQUI. As primeiras 1.000 cópias do disco serão autografadas por Hannah Stobart (voz) e Steve Rothery (guitarras, teclados, baixo e produção), os quais são os responsáveis pelo projeto, tal qual o Blackmore’s Night do guitarrista Ritchie Blackmore (ex-Deep Purple).

Abaixo as faixas do álbum:
1. Ostara
2. Easy
3. Hollow Hills
4. Seventh Sign
5. Falling
6. Fly
7. Kingfisher
8. Soldier

A faixa “Hollow Hills”, primeiro single do álbum, pode ser conferida logo abaixo:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. Quantcast

Site
Myspace

Leia outras notícias sobre o Wishing Tree