Ápice Da Ópera-Rock, “Quadrophenia” E “Artur” Ganham Versão De Luxo


Sting em cena de Quadrophenia o filme de 1979

Por Thales De Menezes

Neste fim de ano, duas óperas-rock foram relançadas em versões luxuosas, com CDs duplos, livrinhos e material inédito de bônus.

Ambas são inglesas. Quadrophenia (1973), marcou a volta da banda The Who ao gênero. Quatro anos antes, o quarteto havia lançado, com mais repercussão, Tommy (1969).

O outro relançamento da temporada é Arthur (1969), do The Kinks. Sua versão original saiu em 1969, mesmo ano de Tommy (1969), e durante muito tempo fãs das duas bandas discutiram qual delas era a real criadora do gênero.

Discussão inútil, porque há tempos os estudiosos de rock concordaram que o mérito era mesmo do Nirvana. Não, Kurt Cobain não tem nada a ver com essa história. Ele estava literalmente no berço quando a banda psicodélica inglesa Nirvana lançou, em 1967, o álbum The Story Of Simon Simopath (1967). É quase um sacrilégio comparar a qualidade musical do Nirvana inglês com bandas seminais na história do rock como Who e Kinks.

No entanto, o disco de 1967 já trouxe todas as características que definiriam a ópera-rock: um álbum inteiro contando uma história ao longo de várias canções, com personagens recorrentes. O resultado é irregular. A banda consumia LSD em altas doses quando gravou o disco. E tudo o que produziu depois, até o começo dos anos 70, é muito pior.

O Kinks sempre foi um grupo mais cult do que criador de hits. Assim, sobrou para Tommy (1969) todo o impacto revolucionário da ópera-rock.

O disco ganhou uma versão com orquestra sinfônica e estrelas convidadas, como Rod Stewart, virou filme de sucesso –com Roger Daltrey, vocalista do Who, no papel principal– e, depois, uma peça, que chegou a ser montada no Brasil nos anos 90.

Pela Segunda Vez

O Who voltou ao gênero em 1973. Pete Townshend, líder e guitarrista, quis um argumento menos “maluco” do que o de Tommy (1973). Buscava uma trama mais realista. Então seu foco foram brigas entre gangues de jovens que aconteceram em 1964 e 1965, em Londres e Brighton.

Falando apenas de música, Quadrophenia (1973) é mais poderosa do que Tommy (1969). Faixas como ‘5:15’, ‘The Real Me’ e ‘Love, Reign O’er Me’ entram em toda lista do melhor da banda. E eis aqui o grande desempenho do baterista Keith Moon (1946-78).

Quadrophenia (1973) também virou filme, em 1979 –com um jovem Sting posando de bad boy. Depois, originou um musical de teatro, em 2005.

Outros discos são chamados às vezes de ópera-rock, como Ziggy Stardust And The Spiders From Mars (1972), de David Bowie, e Berlin (1973), de Lou Reed. Mas não passam pelo crivo de puristas. Suas canções não têm as ligações quase literárias que sobram em Quadrophenia (1973).

Fonte

Anúncios

Pete Townsend, Do The Who, Planeja Novo Musical Para 2011 Chamado "Floss"


Pete Townsend, guitarrista do The Who e um dos criadores das óperas rock “Tommy” e “Quadrophenia”, está escrevendo um novo musical, “Floss”, sobre o envelhecimento.

“Quando tinha 19 anos escrevi ‘My Generation’, a canção mais explícita do rock sobre envelhecimento”, escreveu Townsend no site de sua banda. O sucesso de 1965 inclui a frase “Espero morrer antes de envelhecer”.

“Aos 64 anos, quero abordar o envelhecimento e a mortalidade, usando o contexto poderosamente raivoso do rock’n’roll”.

‘Floss’ será concebido para exibições em espaços abertos e arenas, e Townsend pretende finalizá-lo para uma estréia em 2011, provavelmente em Nova York.

Algumas das canções mais “convencionais” do musical irão fazer parte de um álbum do The Who programado para o ano que vem, acrescentou ele.

“‘Floss’ é um projeto novo ambicioso para mim, no estilo de ‘Tommy’ e ‘Quadrophenia'”, escreveu Townsend. “Neste caso, as canções são intercaladas com ‘paisagens sonoras’ em surround-sound, com efeitos sonoros complexos e montagens musicais”.

A história se concentra em um casal cuja relação passa por dificuldades.

Walter, um músico de bar, fica rico de repente quando uma de suas músicas é usada em anúncios de uma montadora de veículos, mas as coisas azedam quando ele volta para a música 15 anos mais tarde.

“Enquanto Roger Daltrey exercita suas cordas vocais envelhecidas embarcando em uma turnê-solo de dois meses intitulada ‘Use or lose it’, eu me concentro em ‘Floss’, que lida com assuntos atuais enfrentados pela geração baby boomer”, escreveu Townsend, referindo-se ao cantor do The Who.

“O musical também trata a relação tensa dos dois com seus pais, filhos e netos”.

Site
Fonte

The Who: DVD Com Material Histórico É Relançado


A edição em DVD de Maximum R & B Live (2009), que teve seu primeiro lançamento no vídeo 30 Years OF Maximum R & B (1994), será lançada mundialmente pela Universal em 23 março em um novo pacote completo, com novos conteúdos, 5:1 surround sound e um bônus com todo o show do Rockpalast Concert, de 1981, só visto antes em sua transmissão pela TV. O pacote inclui também uma entrevista com Pete Townshend gravada para o Rockpalast Concert.

No auge do seu poder de fogo, Pete Townshend, Roger Daltrey, John Entwistle e Keith Moon quando juntos produziam um dos mais venerados materiais da história do rock. Mais do que qualquer uma das bandas de rock legendárias da Grã-Bretanha, o The Who construiu uma identidade vigorosa com os seus concertos fabulosos, estabelecendo enorme influência na cena rocker que se seguiria a partir de então.

O pacote trará o melhor dentre seus maiores desempenhos ao vivo, abrangendo 30 anos de sua carreira frenética, contendo ainda por cima material adicional, num total de 2 horas e 45 minutos.

Faixas presentes no DVD:
Disco 1
Anyway, Anyhow, Anywhere (Richmond Blues & Jazz Festival, 1965)
So Sad About Us (Marquee Club, 1967)
A Quick One, While He’s Away (Monterey Pop Festival, 1967)
Happy Jack (London Coliseum, 1969)
Can’t Explain * (London Coliseum, 1969)
Young Man Blues (Isle of Wight Festival, 1970)
I Don’t Even Know Myself (Isle of Wight Festival, 1970)
My Generation (Amsterdam, Holland, 1972)
Substitute (Charlton Football Club, 1974)
Drowned (Charlton Football Club, 1974)
Bell Boy (Charlton Football Club, 1974)
My Generation Blues (Charlton Football Club, 1974)
Dreaming From The Waist (Cleveland, 1975)
Baba O’Reilly * (Kilburn, 1977)
Sister Disco (Shepperton Studios, 1979)
Who Are You (Shepperton Studios, 1979)
5.15 (International Ampitheatre, Chicago, 1979)
My Wife (International Ampitheatre, Chicago, 1979)
Music Must Change (International Ampitheatre, Chicago, 1979)
Pinball Wizard (International Ampitheatre, Chicago, 1979)
Behind Blue Eyes (Concert for Kampuchea 1979)
Love Reign O’er Me (Shea Stadium, 1982)
Won’t Get Fooled Again * (Shea Stadium, 1982)
Boris The Spider (Giants Stadium, 1989)
I Can See For Miles (Giants Stadium, 1989)
See Me, Feel Me (Giants Stadium, 1989)
+ Entrevistas

Disco 2
Show Completo – Germany 28th March 1981
Intro *
Substitute *
I Can’t Explain *
Baba O’Riley *
The Quiet One *
Don’t Let Go The Coat *
Sister Disco *
You Better You Bet *
Drowned *
Behind Blue Eyes *
Another Tricky Day *
Pin Ball Wizard *
Who Are You *
5:15 *
My Generation *
Won’t Get Fooled Again *
Summertime Blues *
Twist And Shout *
See Me, Feel Me *

Extras: Entrevistas com Pete Townsend *

(Faixas com * indicam material inédito)

Site
Fonte